Para quando eu quiser escrever. Devaneios, verdades inventadas, escape... Qualquer faceta cabe aqui, inclusive a de ser mais um em busca de encontrar respostas para compreender a si mesmo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Negue!


Flores para quê?
Se logo logo irão perecer...

Murchar, secar, fenecer.
Afinal, flores para quê?

Amor mal resolvido?
Elas, nem vão querer!

Relação inaugural?
Confusão em receber...

Namoro, matrimônio...
Resta saber.

Flores são confusas.
Cuidado quem folas ter!

Periferia, classe C
Por favor, flores para quê?

Um comentário:

  1. Massa seu blog é muito legal, preciso conhece-lo melhor(Raul-cepa)

    ResponderExcluir